[Confira] Angra dos Reis – Opiniões dos Turistas

Neste Post estaremos mostrando para vocês os comentários de algumas pessoas que ja visitaram ANGRA DOS REIS.


Lu 35 anos

Esteve lá em Fev/2009

Se você mergulha (máscara, nadadeira e snorkell) não dá pra perder. Encontramos várias tartarugas no fundo. A Ilha grande também é maravilhosa e a tal Lagoa Azul deveria se chamar lagoa verde das águas vivas. Mesmo assim, é linda! Amei, voltaremos muitas e muitas vezes!

– – – – –

Claudia 36 anos

Esteve lá em Set/2008

Para quem gosta de paz, mergulho e natureza este é o lugar certo!

As praias de Ilha Grande são maravilhosas a visibilidade d'agua para mergulho é ótima, as comidas servidas ao longo de sua costa um espetáculo de culinária, opte sempre por frutos do mar são a especialidade deles.

– – – – –

Márcia 52 anos

Esteve lá em Dez/2008

Lugar de muita Paz! De Praias limpas e águas claras. A natureza impera em todos os cantos dessa Ilha. Um lugar mágico,inesquecível,cercado por belas praias. Um verdadeiro capricho dos Deuses, com  costões, enseadas, florestas, mangueizais e muita água. Por ser uma das mais antigas cidades do Brasil, Angra dos Reis esconde mistérios até hoje desconhecidos pelo ser humano. Possui um acervo histórico considerável e encanta os seus visitantes pela perfeita integração entre cultura e natureza.

– – – – –

Paulinho 24 anos

Esteve lá em Fev/2009

Estive na ilha com minha esposa, e pretendo voltar logo pois o lugar é magnífico e ainda tive a oportunidade de caminhar até a Praia do Dentista como é conhecida. Fiquei maravilhado com o lugar, as águas são cristalinas! O lugar é lindo, ótimo para fazer mergulho. Se você ainda não foi, não perca tempo pois não vai se arrepender! Assim que puder estou voltando para curtir mais um pouco desse paraíso.

– – – – –

Rose Ri 24 anos

Esteve lá em Fev/2008

Passando por Angra, vale a pena fazer um passeio de escuna e conhecer as maravilhosas praias e ilhas, e ficar deslumbrado com tamanha beleza natural. Se o passeio coincidir com o horário do almoço, é só reabastecer as energias em algum restaurante que fica situado em alguma ilha, e como tudo lá é perfeito, o que não falta é coisa boa nos cardápios, gente bonita e vontade de ficar por lá. É imprescindível ter sempre em mãos protetor solar, óculos escuros, mapa e claro, máquina para registrar todos os bons momentos que certamente passará lá.

– – – – – – – – – – –

E no Reveillon a CMMC tem PROMOÇÃO para

Angra dos Reis!


Valores para Reveillon no empreendimento da Rede em Angra dos Reis!

4 Pessoas – R$800,00

5 Pessoas – R$1.000,00

6 Pessoas – R$1.200,00

Criança – R$100,00

Pacote mínimo de 4 pessoas, 4 diárias
Diárias por pessoa: R$ 50,00

Confira aqui as formas de pagamentos que a CMMC Turismo oferece.

www.CMMCTURISMO.com.br

Anúncios

Mural CMMC – Mangaratiba / RJ

Mangaratiba tem mais de 400 anos de história

As mais lindas cachoeiras da Costa Verde estão em Mangaratiba – uma cidade que foi, durante uma época, o principal porto de escoamento do café do Vale do Paraíba.

Com intenso comércio de café e escravos, a região abrigava grandes fazendas e imponentes solares e palacetes, seu principal patrimônio histórico e cultural até hoje.

A região tem os melhores e mais sofisticados resorts da Costa Verde.
E é no Porto de Mangaratiba que você aluga barcos e saveiros para um passeio inesquecível pelas ilhas tropicais de Itacuruçá e Ilha Grande.

Fonte: Brasil Viagem

Mural CMMC – Ilha Grande / RJ

Ilha Grande - RJ

Ilha Grande - RJ

Com natureza preservada, Ilha Grande é destino certo para quem busca aventura

A Ilha Grande, localizada no litoral sudoeste do Rio de Janeiro, no município de Angra dos Reis, é uma das preciosidades do país. A natureza preservada (e protegida por lei), o clima rústico, as histórias e lendas locais e as paisagens fascinantes que combinam enseadas, rios, lagoas, cachoeiras, costeiras, planícies, ilhas, mata exuberante e montanhas fazem com que o visitante entre na barca de retorno ao continente com a sensação de estar atravessando um portal e voltando a um mundo menos emocionante do que aquele que acaba de deixar para trás.

Ao todo, a ilha tem 193 km² de área, a maior parte dela coberta por densa mata atlântica. Tem contorno acidentado com 34 pontas, sete enseadas e 106 praias. Mar e mata se combinaram durante os séculos para criar recantos paradisíacos, alguns inatingíveis, outros acessíveis somente por barco ou mesmo por trilhas. Ao seu redor, outras ilhas emolduram sua beleza e quase todo o seu entorno possui praias aptas à visitação.

O clima e a paisagem instigam ao total ócio, no entanto, há muito o que fazer na Ilha Grande com opções para todos os níveis de aventura. A estrutura para isso é bem organizada, fazendo do ecoturismo a grande vocação desse paraíso. Para percorrer as trilhas, por exemplo, há sinalização e placas de orientação ao longo do caminho. Existem desde trajetos curtos e fáceis a opções para quem busca aventura de verdade, como a trilha que dá a volta na ilha e pode ser feita em até cinco dias. Sem falar nos redutos para a prática de mergulho profissional (a baía é famosa por naufrágios visitados por mergulhadores do mundo todo) e dos muitos recantos onde os iniciantes podem vislumbrar grandes e vermelhas estrelas do mar e peixes coloridos.

Com tanta área preservada, a Ilha Grande consiste em um refúgio natural para muitos animais e também de proteção de recursos genéticos de espécies típicas de formações atlânticas. É o caso do bugio, primata com sério risco de extinção e que ali está protegido.

Os passeios de escuna ou lancha levam turistas para conhecer praias e outros pontos turísticos. É a atração que mais movimenta o comércio na região, pois garante ao visitante conhecer lugares que só poderiam ser alcançados de barco ou por trilha e garante aos locais faturar algum dinheiro oferecendo refeições com gostinho bem caseiro.

Pela manhã, o cais de turismo da vila do Abraão, a “capital” de Ilha Grande, é um agito só, com o movimento de turistas chegando e partindo para seus passeios.

Ao todo, vivem na ilha cerca de 7.500 pessoas, entre pescadores, estrangeiros que fincaram raízes e aqueles que carregam o legado de seus antepassados que vieram para cá, como descendentes de fazendeiros. O máximo que a ilha comporta são 11 mil pessoas. Com isso, restam 4.500 “vagas” que são leitos para hospedagem legalizada, incluindo camping, que só pode ser praticado em áreas autorizadas sob fiscalização rigorosa.

Vilas e povoados se espalham pelas praias de todo o entorno, somando 21 comunidades, das quais se destacam as da vila do Abraão, de Provetá, da vila de Dois Rios, de Praia Grande de Araçatiba, de Aventureiro, Lopes Mendes, Saco do Céu, Bananal, da Praia da Longa, Ubatuba, Passa-Terra e Parnaioca. Só Abraão tem 1.821 habitantes. É a maior de toda a ilha e concentra farta rede de hospedagem e de restaurantes.

Não há agências bancárias na vila. O jeito é partir do continente com uma quantia em dinheiro que achar suficiente. Por conta disso, a maioria dos estabelecimentos trabalham com cartões de débito e crédito.

Hoje, a ilha ganha fama por conta de suas belezas naturais, mas num passado recente ficou nacionalmente conhecida por abrigar dois presídios destinados a condenados por crimes comuns e também para presos políticos, como Graciliano Ramos e Fernando Gabeira. Chegou a ser apelidada de “Alcatraz brasileiro”. Por sorte, a beleza falou mais alto e, atualmente, os sinais desse passado estão em ruínas e suas lembranças fermentam as histórias que o povo conta.

Sem dúvida, a cultura da Ilha Grande está repleta de lendas e histórias, mas as mais belas você irá carregar ao partir com a sensação de que precisa voltar e deveria ter reservado mais dias para conhecer esse grande paraíso.

fonte: UOL – Viagem

A CMMC Time Sharing – Turismo tem empreedimentos nessa região, quer dar uma olhadinha?

Mural CMMC – Ilha Grande

Ilha Grande - RJ

Ilha Grande - RJ

História e beleza natural no mesmo lugar

Localizada no litoral sul do Rio de Janeiro, a Ilha Grande possui uma área de mata nativa e uma diversidade biológica raramente encontradas no Brasil. Os 187 quilômetros quadrados de área são divididos entre montanhas e praias, além de cachoeiras e vegetação exuberante. Os primeiros habitantes do local foram os índios Tamoios, que o chamavam de “Ipaum Guaçu”, que significa Ilha Grande.

Logo depois do descobrimento do Brasil, em 4 de janeiro de 1502, os portugueses desembarcaram na Ilha pensando ser Angra dos Reis. A partir desta data, a enorme porção de terra próxima ao continente serviu de esconderijo a piratas, que buscavam madeira e água potável. As fazendas de café predominavam no período colonial.

As 106 prais ao longo de 155 quilômetros de costa podem ser divididas em dois grupos: aquelas voltadas para o continente, com águas calmas e que geralmente possuem cais de atracação, e as praias voltadas para o mar aberto, com areia fina e uma paisagem de deixar qualquer um boquiaberto.

Os destaques são a praia de Lopes Mendes, a do Aventureiro e a pequena Caxadaço. O pico do Papagaio tem 990 metros de altura e de lá pode-se observar quase toda a ilha. A ilha possui 16 trilhas sinalizadas com placas, que mostram a distância entre certos pontos da trilha e o tempo médio de caminhada. Nos caminhos que cortam a mata, ainda é possível observar pequenos macacos e animais selvagens que vivem no local.

Entre os marcos históricos, estão as ruínas do lazareto e o aqueduto, a 15 minutos da vila do Abraão, principal núcleo urbano. A Ilha Grande é uma Área de Proteção Ambiental. Por esse motivo, o IBAMA pede aos turistas que se divirtam, mas também preservem a natureza.

Mural CMMC – Paraty, RJ

Paratí - RJ

Paratí - RJ

Cidade histórica e cheia de belas paisagens naturais, Paraty tem opções de passeios inesquecíveis o ano todo.

Paraty é uma cidade cheia de história e belezas naturais, localizada na região da Costa Verde, no sul do Estado do Rio de Janeiro. A cidade atrai turistas em grande quantidade em julho, durante a Flip, sua festa literária já tradicional, mas durante todo o ano muita gente conhece e se apaixona por Paraty.

Motivos para voltar não faltam, o que faz com que a cidade histórica sempre seja rota de turistas do Brasil todo. Conheça os dez passeios imperdíveis em Paraty e entenda por que quem já foi sempre quer voltar lá.

1 – Passear de escuna

Os passeios de escuna são praticamente obrigatórios em Paraty. O passeio dura cerca de cinco horas e as escunas, que saem do cais da cidade entre 10 e 12h, param em quatro lugares – entre praias e ilhas. Há bebida e comida a bordo. Quem viajar com um grupo grande de amigos pode alugar um barco só para o seu grupo. Essas embarcações levam até dez pessoas, e o preço acaba saindo quase o mesmo. A negociação pode ser feita diretamente com o marinheiro, no cais, ou ainda através de agências de turismo.

2 – Mergulhar nos aquários naturais

Em algumas das paradas das escunas, você pode mergulhar em verdadeiros aquários naturais. Águas limpas, através das quais é possível observar peixinhos nadando ao seu redor. Uma experiência única e inesquecível.

3 – Dar um pulinho em Trindade

Localizada a apenas 30 quilômetros de Paraty, Trindade é uma vila de pescadores com cenários paradisíacos. O acesso é pela Rodovia Rio-Santos, na altura do km 268. Entre as praias de Trindade estão a Praia Brava, a Praia do Cepilho (muito procurada para surfe), a Praia dos Ranchos, a Praia do Meio (onde barqueiros oferecem passeios turísticos), entre outras. A Praia das Figueiras ou Praia dos Pelados é famosa pela prática do naturismo.

4 – Visitar as cachoeiras

Paraty tem várias cachoeiras belíssimas e você não pode deixar de conhecer pelo menos uma. Uma dica é a Cachoeira da Pedra Branca, com dois saltos de cinco metros de altura. A água é um pouco fria, mas o banho vale a pena. Há pequenas piscinas e duchas naturais no local, o que só torna o passeio ainda melhor.

5 – Visitar lojinhas de artesanato

As opções são muitas: artesanato em tecido, em madeira, em fibras vegetais, em papier maché. Tem para todos os gostos e bolsos. Passar algumas horas visitando as lojinhas de artesanato, espalhadas pelo centro histórico de Paraty, é uma delícia, mesmo para quem viajou sem a intenção de gastar muito.

6 – Fazer o Caminho do Ouro

O Caminho do Ouro, que ligava Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, é a estrada construída pelos escravos entre os séculos 17 e 19 e é por ela que os mineiros traziam o ouro. O local está preservado e está cercado pela beleza da Mata Atlântica do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Há várias opções de trekking pelo Caminho do Ouro, com paradas em cachoeiras, alambiques, entre outras paisagens.

7 – Nadar no Poço das Andorinhas

As águas do poço são claras e com temperatura ótima para banhos. Há, ainda, no local uma ducha natural. Os visitantes procuram muito o local também por causa de um escorregador natural que se forma abaixo do poço.

8 – Passear pelo centro histórico

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional, o centro histórico de Paraty foi erguido entre os séculos 17 e 19, e está localizado entre o Rio Perequê-Açu e a Baía de Paraty. Ele é formado por casarões coloniais e igrejas. Carros não podem trafegar pelas ruas, que mantém seu calçamento em pedras. Alguns sobrados são ocupados por bares, restaurantes, pousadas e lojas de artesanato.

9 – Ir a um espetáculo de Teatro de Bonecos

O grupo Contadores de Estórias manipula bonecos de pano e espuma em espetáculos premiados em vários países. As apresentações acontecem às quartas e sábados, no Teatro Espaço. O teatro não é muito grande, tem apenas cem lugares e é bom fazer reservas. Mais informações: (24) 3371-1575.

10 – Visitar a Casa da Cultura

A Casa da Cultura funciona em um casarão bonito e foi aberta ao público em 2004. No local, há exposições temporárias e uma exposição permanente, que exibe em vídeo depoimentos de moradores e visitantes de Paraty.