[Turismo] Belíssima Paisagem. Baía da Traição – PB

A vila de pescadores tem de tudo um pouco: praias desertas, falésias, rios, recifes, mangues e tribos indígenas. O nome, aliás, remete a uma emboscada dos índios contra os primeiros portugueses que ali chegaram, no século XVI. O espírito de preservação foi mantido, garantindo as paisagens rústicas e o estilo de vida típico das aldeias, que se espalham por uma área de 20 mil hectares. Para conhecê-las, siga para o Centro de Cultura e Apoio ao Turista, que orienta em quais há produção e venda de artesanato e apresentações de dança, como o Toré. Entre as mais visitadas estão as de São Francisco, Galego, São Miguel e Tracoeira.

A praia que dá nome à vila a mais estruturada da região. Com águas mansas, areias escuras e um recife próximo que abriga o Farol da Traição, é movimentada apenas na alta temporada. Já as praias selvagens ficam afastadas do centrinho. A preferida dos surfistas é Tanguá, onde fica a aldeia Galego, dos índios potiguaras. Além de artesanato, há venda de doces de frutas nativas. Já a praia de Coqueirinho é considerada uma das mais bonitas, com coqueirais, mar calmo e barqueiros que fazem a travessia para Barra de Mamanguape, sede do projeto Peixe-Boi.

Na praia do Forte, a atração é subir no alto de uma escarpa com vista panorâmica para a Baía da Traição. As falésias avermelhadas chamam a atenção em Jerimum e Cardosas – esta última abriga a lagoa Encantada, boa para banhos, com águas cristalinas e vegetação preservada. O acesso é por trilhas, depois de uma hora de caminhada.  As dunas típicas do Rio Grande do Norte surgem a partir de Barra de Camaratuba, procurada pela turma do surf e com opções de hospedagem e alimentação. Por lá estão as praias da Baleia, com águas esverdeadas; da Pavuna, cercada de lagoas; e Guaju, totalmente deserta. O rio Camaratuba corta a região e pode ser explorado em passeio de barco. O tour leva a uma pequena praia fluvial com parada para banho e inclui trilha em manguezais e degustação de ostras.

[Fonte: Férias Brasil]

Anúncios

[Turismo] A Natureza Fala Alto em Conde – PB

A menos de 20 quilômetros da capital, o município de Conde abriga algumas das mais belas praias da Paraíba como Carapibus, Tabatinga e Coqueirinho, além de Tambaba, famosa por ser a primeira da região a permitir a prática do naturismo. Selvagem, este trecho da costa impressiona pela diversidade da paisagem, ora emoldurada por falésias e pedras, ora por coqueirais e vegetação nativa. E ainda tem corais, piscinas naturais, águas transparentes…

Tabatinga: Praia virgem tem coqueirais e falésias

Tabatinga: Praia virgem tem coqueirais e falésias

As praias de Conde começam em Barra de Gramame. Com casinhas de pescadores e um bonito visual formado pelo encontro do mar com a foz do rio, oferece ainda boas sombras e um cenário praticamente deserto. Já Carapibus é mais movimentada – em especial, por conta do “maceió” (onde o rio desemboca no mar formando lagoa de água doce). Falésias e coqueirais completam o ambiente.

O burburinho continua em Coqueirinho, com barraca de praia, coqueiros e um cânion natural de argila colorida. Em Tambaba, a curiosidade e a beleza natural atraem turistas de todo os cantos. A praia é dividida em duas partes: a primeira, onde o naturismo é permitido mas não obrigatório, possui formações rochosas e piscinas naturais. Na segunda parte, o acesso é permitido somente para quem está nu. Já em Tabatinga, além da praia virgem, o destaque fica também por conta dos bons restaurantes.

[Fonte: Férias Brasil]

[Turismo] Natureza Exuberante de Jacumã / PB

Algumas das praias mais bonitas da Paraíba.

O pequeno distrito de Jacumã é cercado por algumas das praias mais bonitas da Paraíba. O cartão-postal é Tambaba, famosa por ser a primeira praia oficial de nudismo do Nordeste. O título, porém, não é mais imponente que a natureza exuberante – a faixa de areia é cercada de falésias, vegetação de restinga e coqueiros.
Um trecho de Tambaba é destinado a quem prefere usar trajes de banho. Já os adeptos do naturismo devem seguir em direção às pedras. Atrás delas ficam os 300 metros destinados à prática. Para ultrapassar o posto de fiscalização é preciso tirar toda a roupa, além de atentar para algumas regras. Entre elas, a de que homens desacompanhados de mulheres não podem entrar. Filmar ou fotografar também é proibido.

Quem não pretende ficar nu segue para Coqueirinho, também entre as mais belas da região, com coqueiros, rochas e fontes de água. O acesso é por estrada íngreme e de areia, mas o movimento é garantido nos finais de semana, quando as barracas e os restaurantes ficam concorridos.

As pousadas se concentram na praia de Carapibus, a dois quilômetros da vila, com piscinas naturais e riachos. Também em Tabatinga há algumas opções de hospedagens em meio às enseadas, recifes e coqueiros. Mais afastada e deserta, a praia da Barra do Graú é contornada por falésias e oferece uma lagoa excelente para banhos.

[Fonte: Férias Brasil]

[Natureza] Conheça a Beleza de João Pessoa – PB

João Pessoa - PB

Uma das menores e mais antigas capitais do Nordeste, João Pessoa tem todo o estilo de cidade do interior. Bastante arborizada, com uma orla preservada pela legislação que limita a altura dos prédios, um povo hospitaleiro, belas praias e badalação light, a cidade é contemplada ainda com serviços e infraestrutura de… capital!

João Pessoa - PB

João Pessoa - PB

Os turistas, que ainda são poucos, concentram-se nas praias urbanas de Tambaú, Manaíra e Cabo Branco, com barracas, bares e restaurantes. As paisagens mais rústicas e bonitas, entretanto, encontram-se no litoral Sul, na direção de Pernambuco. É lá que está Tambaba, o mais consagrado endereço naturista do Brasil. Já o litoral Norte é point dos surfistas. As águas não são tão claras quanto as do litoral Sul, mas formam excelentes ondas. Quem viaja com crianças deve incluir no roteiro um mergulho nas piscinas naturais de Picãozinho, transparentes e repletas de peixes coloridos.
Com um rico acervo histórico-arquitetônico, João Pessoa guarda imponentes construções barrocas datadas do século 16. A devoção, ainda nos dias de hoje, é bastante forte e representada pelo espetáculo da Paixão de Cristo que atrai fiéis e turistas na Semana Santa. O profano também tem seu lugar e atende pelos nomes de Folia de Rua e Muriçocas do Miramar, reunindo o melhor do frevo e do maracatu, durante o pré-Carnaval. O forró marca presença nas festas juninas, em homenagem a São João.

Um dos cartões-postais da cidade, o Farol do Cabo Branco sinaliza que João Pessoa é o ponto oriental extremo das Américas – em suas praias, o sol nasce primeiro. Embora emoldurada por uma bela orla, a cozinha da capital não se limita aos de frutos do mar. Porreta mesmo são as receitas do sertão, à base de carne-de-sol e de bode, macaxeira, arroz de leite, feijão-de-corda e manteiga de garrafa. Para a sobremesa, dá-lhe rapadura!

[Fonte: Férias Brasil]

Mural CMMC – João Pessoa / PB

Picãozinho - João Pessoa

Picãozinho - João Pessoa

Picãozinho – João Pessoa, Paraíba

Um banco de corais com piscinas naturais, onde peixes multicoloridos vêm comer na mão dos visitantes.

Passeio as Piscinas naturais de Picãozinho, arrecife de corais, com aproximadamente o tamanho de um campo de futebol, localizado a 1 km da costa na praia de Tambaú, nas marés baixas formam um verdadeiro aquário marinho com piscinas de águas mornas e cristalinas, onde podemos alimentar e mergulhar com os peixinhos coloridos, bom também para mergulhadores, com piscinas que variam de 1 a 3 metros de profundidade.

A embarcação um catamarã para 70 passageiros ( MARESIA I )tem serviço de bar, som WC, 1 andar e equipamento para mergulho (máscara e snorkel) o passeio dura em média duas horas e meia e a travessia é de 15 minutos.

Mural CMMC – Cabedelo / PB

Cabedelo - PB

Cabedelo - PB

Point dos surfistas, Intermares reúne também os adeptos do kite e do windsurf

Cabedelo é uma cidade, mas parece um bairro de João Pessoa, de tão próximo que está da capital – apenas 28 quilômetros separam os dois destinos. O pequeno município, porém, tem personalidade própria e muitos encantos, a começar pela localização, entre o Oceano Atlântico e o Rio Paraíba.

A rica história – em função de seu porto estratégico – presenteou Cabedelo com monumentos e construções que ainda hoje estão de pé. Um dos cartões-postais é a fortaleza de Santa Catarina, transformada em centro cultural e turístico e com belíssima vista panorâmica. Erguido em 1586, o forte sofreu ataques de invasores franceses e holandeses nos séculos XVI e XVII e chegou a ser tomada por Maurício de Nassau. As grandes muralhas guardam peças de artilharia e um pequeno museu onde chamam a atenção os mapas feitos de azulejos.

A região abriga ainda praias de águas quentes e transparentes, acompanhadas por coqueirais e com movimento tranqüilo até mesmo no verão. Point dos surfistas, Intermares reúne também os adeptos do kitesurf, wakeboard e windsurf no trecho conhecido como Mar do Macaco. A praia é também local de desova de tartarugas marinhas. Já Camboinhas, freqüentada pelos jovens que se espalham pelos bares e quiosques, é mais conhecida pela Ilha de Areia Vermelha – um banco de areia que se forma na maré baixa, a dois quilômetros da costa, onde a pedida é nadar entre peixes coloridos. Barcos partem de Camboinhas e da praia do Poço em direção ao aquário natural.

No fim do dia, todos os caminhos levam à praia fluvial do Jacaré, que fica lotada de turistas e moradores de Cabedelo, João Pessoa e arredores. Ali, o pôr-do-sol acontece ao som do Bolero de Ravel. É bom chegar bem antes das 17h para conseguir uma boa mesa nos concorridos deques dos bares instalados na área. E acompanhar de perto a emocionante despedida do astro-rei em sintonia com o saxofone do músico Jurandy, devidamente instalado a bordo de um barquinho.

Mural CMMC – João Pessoa

João Pessoa - PB

João Pessoa - PB

João Pessoa é o ponto de partida do litoral paraibano

João Pessoa, pela sua localização privilegiada (fica no centro dom litoral da Paraíba) é o ponto de partida para conhecer o belo litoral paraibano. Fundada em 1585 consegue conjugar história e natureza. A cidade é bastante conhecida por ter uma das maiores áreas verdes urbanas como também pela rígida legislação municipal que limita as construções a beira mar a no máximo 3 andares.

A maior atração de João Pessoa, sem dúvida, é o Cabo Branco (a 10 km) e a Ponta Seixas. O Cabo Branco já foi considerado o ponto mais oriental (leste) da América tendo perdido este título para Ponta Seixas (3 km mais ao sul). A erosão marinha, que ao longo dos anos fez com que suas ondas desgastassem o Cabo Branco e depositasse estes sedimentos na Ponta Seixas (fazendo-a aumentar) foi a responsável por este fenômeno. Do Farol do Cabo Branco, que fica no alto de uma falésia, podemos observar em detalhes toda curiosidade deste fenômeno.

Ao norte de João Pessoa, depois de uma travessia de 20 minutos de barco, através do Rio Paraíba chegamos a Lucena. Esta pequena vila é o ponto de partida para chegarmos até a Barra do Mamanguape, onde existe um centro de preservação do peixe-boi marinho (Projeto Peixe-Boi Marinho – IBAMA).

São 8 km de Lucena até a Ponta de Areia, na entrada da Barra de Mamanguape. Para quem gosta de bike, o trajeto é perfeito. AS praias do Outeiro e Campina com suas belas falésias, como a de Barra de Mamanguape, uma verdadeira piscina, são velhas conhecidas dos ciclistas de João Pessoa.