[Evento] O Natal da Chapeuzinho

A Cidade Digital Produções Artísticas Apresenta: “O NATAL DA CHAPEUZINHO” 19 de Dezembro de 2010, domingo, às 18h. Classificação livre – Local: TEATRO MUNICIPAL DE SÃO PEDRO DA ALDEIA – RJ

SINOPSE

Chapeuzinho Vermelho percebe que a floresta está diferente…

O Lobo Mau escreve uma carta para o Papai Noel. Mas como escrever uma carta para Papai Noel? O que colocar em uma carta para se pedir um presente de Natal? Essas perguntas não têm respostas para um lobo que foi mau em toda a sua existência. O Lobo perseguiu, engoliu e soprou tudo que encontrou em seu caminho… Bem, isso todos nós já sabemos!

Mas para se ganhar um presente do Papai Noel? O que se tem de fazer? E a resposta é apenas uma, ser bom.

E aí começa nossa fascinante aventura, quando o Lobo tem um encontro surpreendente com um Porco gigante e muito forte, em busca de acertar as contas sobre certo assunto com os três porquinhos. Ao som de Jingle Bell’s, o Lobo, desesperado, foge do Porco depois de umas boas palmadas.

Na fuga encontra Chapeuzinho Vermelho, implora ajuda e se debulha em lágrimas, contando que está sendo perseguido por um porco gigante e todo rosa.

Chapeuzinho, muito desconfiada, olha para o Lobo, pois afinal muitas maldades já tinham sido cometidas e a lista era longa. Mas o ajuda a escapar.

O Lobo revela fatos de sua infância, lembranças tão profundas e secretas que sensibiliza a doce Chapeuzinho Vermelho. Ela decide ajudá-lo em uma jornada de resgate de todas as suas ações, após lhe dizer, com a ajuda das crianças da platéia, que “quem é mau não ganha presentes”.

“…Seu Lobo, o senhor terá que pedir desculpas de todas as maldades que fez para as outras pessoas..”

No caminho, o Lobo encontra uma Lobinha e algo muito diferente começa a acontecer em seu coração. A Lobinha revela a ele que também vive na floresta mas que ele nunca a olhou.

Uivos depois, o Lobo adormece e a Lobinha vai ao encontro de Chapeuzinho Vermelho e do Porco.

“Chapeuzinho, nosso plano está dando muito certo. O Lobinho está lá, dormindo”.

O publico agora sabe que existe algo mais a ser revelado.

Será que o Lobo vai ser enganado como enganou tantas vezes?

O que farão Chapeuzinho, a Lobinha e o Porco?


EQUIPE:
Elenco: Gustavo Cerri; Carolina Coletti. Ellen Amaral e Leandro Balbi.
Cenários & Adereços: Urubatan Amaral
Figurinos: Renata Assunção
Maquiagem: Gustavo Cerri e Ellen Amaral
Iluminação: Thiago Aguiar
Maquinista & Contra-Regra: Fábio Conceição
Produção Executiva: Renata Assunção
Texto e Direção: Urubatan Amaral
Realização: CIDADE DIGITAL
Classificação: Livre
Este espetáculo, é apropriado para crianças de 3 à 12 anos, com linguagem apropriada e muito interativo.

Anúncios

[Turismo] São Pedro da Aldeia – RJ

São Pedro da Aldeia – RJ

A aldeia de São Pedro foi erguida para defender Cabo Frio dos freqüentes ataques dos piratas.

Data da mesma época a construção da Capela de São Pedro, erigida em pedra, cal e óleo de baleia.

Além da Igreja de São Pedro, vale a pena conferir a Casa dos Azulejos – que hospedou em 1868 a princesa Isabel e o Conde D’Eu – e a Casa da Flor – de arquitetura totalmente atípica, construída com pedras, cacos de vidro, conchas e búzios pelo pedreiro Gabriel Joaquim dos Santos, a partir de um sonho que teve.

Hotéis e pousadas aconchegantes oferecem maravilhosos passeios de saveiros e você confere a gastronomia local em excelentes restaurantes especializados em frutos do mar.

[Fonte: BrasilViagem]

Mural CMMC – São Pedro da Aladeia / RJ

SE VOCÊ PROCURA POR PAZ E DIVERSÃO JUNTAS, ESSA É A CIDADE!

A aldeia de São Pedro foi erguida para defender Cabo Frio dos freqüentes ataques dos piratas.

Data da mesma época a construção da Capela de São Pedro, erigida em pedra, cal e óleo de baleia.

Além da Igreja de São Pedro, vale a pena conferir a Casa dos Azulejos – que hospedou em 1868 a princesa Isabel e o Conde D’Eu – e a Casa da Flor – de arquitetura totalmente atípica, construída com pedras, cacos de vidro, conchas e búzios pelo pedreiro Gabriel Joaquim dos Santos, a partir de um sonho que teve.

Hotéis e pousadas aconchegantes oferecem maravilhosos passeios de saveiros e você confere a gastronomia local em excelentes restaurantes especializados em frutos do mar.

Fonte: Brasil Viagem

Mural CMMC – São Pedro da Aldeia / RJ

São Pedro da Aldeia

São pedro da Aldeia - RJ

São pedro da Aldeia - RJ

Lagoa de Araruama é perfeita para a prática de windsurf, kitesurf e vela

O tumulto e a agitação típicos da Região dos Lagos passam longe de São Pedro da Aldeia. A fama do destino não está nas praias badaladas ou nas noites movimentadas, mas sim na gigantesca lagoa que banha a cidade e é segunda maior do país, com 220 quilômetros quadrados de superfície.

As águas calmas da Lagoa de Araruama são perfeitas para banhos e prática de esportes náuticos, como windsurf, kitesurf e vela. Para quem pretende apenas observar o movimento enquanto petisca um peixinho frito regado à cerveja, o endereço é a praia do Sudoeste, uma das mais freqüentadas e emoldurada por quiosques e amendoeiras.

Também indicadas para mergulhos e esportes estão as praias Linda, com coqueiros e flamboyants, da Pitória, de São Pedro e da Tereza. Já a praia da Baleia é repleta de bares e um dos melhores pontos para saborear pratos à base de frutos do mar.

Algumas construções fazem parte do roteiro de São Pedro, como a Igreja Matriz, erguida em 1783. Em estilo colonial, foi construída pelos jesuítas e era toda de pedra, mas após a restauração teve as paredes pintadas de branco. Já a Casa da Flor, no alto de uma colina, chama a atenção por sua história. A casa simples foi feita por um ex-escravo, que a ornamentou durante anos com cacos, conchas e pedaços de azulejos, formando coloridos mosaicos por toda a parte – muros, paredes, pisos, escadas… Por sua beleza e curiosidade, a obra foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.

São Pedro fica bem próxima dos mais badalados destinos da Região dos Lagos – Búzios (30 km) e Cabo Frio (14km). Vale a pena conhecer os dois balneários, agitados dia e noite e que abrigam algumas das mais belas praias da região.

Fonte: Férias Brasil

Mural CMMC – Iguaba Grande

Iguaba Grande - RJ

Iguaba Grande - RJ

O distrito de Iguaba Grande, que pertencia a São Pedro da Aldeia, foi criado pela Lei Nº 2.161, de 8 de junho de 1954, tendo se emancipado por intermédio da Lei Estadual Nº 2.407, de 8 de junho de 1995, pelo então prefeito Rodolfo José Mesquita Pedrosa.

Está situada na Região Leste do Estado do Rio de Janeiro, conhecida oficialmente como Baixada Litorânea Fluminense. É dotado de praias atraentes com águas calmas e transparentes, ensolaradas durante quase o ano todo.

No dia 13 de março de 1994, cerca de 94% dos eleitores foram as urnas concordando com a emancipação do distrito. A votação popular para determinar a separação político administrativa de Iguaba Grande foi de grande importância para a Região dos Lagos.

O novo município é mais um a reivindicar soluções para problemas que a municipalidade não consegue resolver. Iguaba Grande possui diversos bairros e povoados, e um grande número de loteamentos e condomínios (a tendência é crescer mais ainda). O último censo realizado em 2.000 pelo IBGE, registrava a existência de 15.052 moradores fixos.

Iguaba possui 32 km² de extensão territorial. Limita-se com os municípios de São Pedro da Aldeia e de Araruama, e está ligado à Niterói pela Rodovia Amaral Peixoto, da qual dista 119 quilômetros e 139 quilômetros da Cidade do Rio de Janeiro. Outra opção é pela Rio-Manilha, através da BR-101, passando por Rio Bonito e Araruama, tendo acesso ao percurso que serve a Iguaba Grande, na moderna estrada da Via Lagos.

A cidade divide-se em 22 bairros oficiais:

  • IGUABA PEQUENA
  • ANDORINHAS
  • CANELLAS CITY
  • LAGUNA AZUL
  • PARQUE TAMARIZ
  • CENTRO
  • SOPOTÓ
  • PEDREIRA
  • JARDIM SOLARES
  • BOA VISTA
  • ESTAÇÃO
  • NOVA IGUABA
  • SÃO MIGUEL
  • UNIÃO
  • CIDADE NOVA
  • VILA NOVA
  • IGARAPIAPUNHA
  • ARRASTÃO DAS PEDRAS
  • UBÁS
  • CAPIVARA
  • COQUEIROS
  • SAPEATIBA-MIRIM


Considerada privilegiada por sua tranqüilidade e belezas naturais, Iguaba Grande atrai veranistas e assíduos freqüentadores, que desfrutam dos recantos pitorescos, possuindo uma boa estrutura de serviço com pousadas, hotéis, restaurantes e campings.

A capela está situada em frente à praia, na Rodovia Amaral Peixoto, km 96, entre residências e casas comerciais. Assemelha-se ao tipo mais simples das capelas jesuíticas, obedecendo ao estilo típico da época. Construída com argamassa, óleo de baleia, pedras e conchas.

Além da reforma feita por Bento José Martins na primeira metade do século XIX, a pequena igreja sofreu em 1972, uma segunda, que, descaracterizou o seu interior.

Registra-se, também, como marco inicial as centenárias palmeiras plantadas em frente ao colégio Estadual Dr. Francisco de Paula Paranhos que, pela altura e beleza, destacam-se na paisagem. Suas sementes são levadas por turistas brasileiros e até mesmo do exterior.

Assinala-se ainda que havia no tempo das antigas fazendas, um porto batizado com o nome de “Madeira” devido ao grande carregamento deste material e que se localizava no hoje denominado Morro de Governo. O carregamento da madeira e de gêneros alimentícios era feito pelos escravos e transportado por barcos e carro de boi, para Massambaba e outras localidades. O comércio local era abastecido por tropas de burros. Os lavradores vinham a cavalo comprar roupas e comestíveis e só pagavam quando chegava o tempo das colheitas. A pesca, por sua vez, era feita em rústicas canoas e os pescadores tocavam uma corneta para anunciar o desembarque do pescado.

Como toda cidade pequena do interior, Iguaba Grande também tinha sua estação de trem da Estrada de Ferro Central do Brasil. Fundada em 15 de maio de 1915, transportava passageiros e cargas, de Niterói a Cabo Frio e vice-versa. Alguns vagões ficavam parados perto da praia, onde hoje é o Condomínio das Garças.

Para armazenar água potável, a população utilizava-se de água de poço e da chuva, depositadas em cisternas domésticas e latas. O serviço de abastecimento encanado só veio em 18 de abril de 1978, após a fusão do estado da Guanabara com o Rio de Janeiro, na administração do Governador Faria Lima.

Iguaba Grande não possuía iluminação pública e somente por volta de 1940 é que a Prefeitura de São Pedro da Aldeia implantou o sistema, utilizando óleo diesel. A manutenção do gerador era feita por um funcionário, e logo que começava escurecer ele ligava o motor, desligando-o às 22 horas.

A CMMC Time Sharing – Turismo tem empreendimentos nessa região, que tal dar uma olhada?