[Turismo] Um Pouco Sobre o Turismo de Búzios

Conheça a origem da demanda de turistas de Búzios (RJ)

Búzios - Praia do Canto

Búzios - Praia do Canto

A Prefeitura de Armação dos Búzios, na Costa do Sol do Rio de Janeiro, está disponibilizando verba na divulgação do destino. “No segmento internacional, 50% dos investimentos são nos mercados já consolidados de Argentina e Chile. E 50% nos demais países da América Latina a serem consolidados”, conta Isac Tillinger, secretário de Turismo de Búzios.
Atualmente a ocupação estrangeira é de 30% de argentinos, 25% chilenos, 15% de outros países da América Latina, 20% europeus e 10% de outras nacionalidades. A ocupação brasileira, excluindo o Rio de Janeiro que demanda visitantes nos fins de semana, 40% são paulistas, 15% mineiros, 15% capixabas e 30% dos demais Estados.
No mês passado, Búzios marcou presença na quinta edição do Salão do Turismo em São Paulo com estande próprio e atraiu a visita de mais de cinco mil pessoas. Outro trabalho da Secretaria de Turismo e Cultura para promover o Balneário foi a Caravana Búzios que percorreu várias capitais do país e cidades consideradas como os principais polos disseminadores de turismo no Brasil.

Mural CMMC – Salvador / BA

Salvador - BA

Salvador recorda seus ancestrais africanos na comida, dança, música e fé.

Salvador foi a primeira capital do Brasil Colônia, de 1549 até 1763, quando perdeu o posto para o Rio de Janeiro. Até hoje as duas metrópoles competem para ver quem atrai mais turistas nacionais e estrangeiros. Disputas à parte, Salvador tem um trunfo que nenhuma outra cidade brasileira tem: suas conexões explícitas com a África.

A cultura afro-brasileira se deixa literalmente tocar pelos turistas que escolhem Salvador. Com 80% da população negra, a cidade é no mundo uma das que mais preservam as cores e sons do continente de seus ancestrais escravos. Ao mesmo tempo, não deixa de renovar suas crenças diariamente. O sincretismo da religião, em terreiros ou igrejas; o berimbau e golpes ritmados que dão o tom da capoeira; e a simpatia das baianas de formas rechonchudas, servindo os quitutes à base de azeite de dendê, pimenta e leite de coco, fazem o turista relembrar o tempo inteiro: sim, essa é a Bahia.

Nas ladeiras do Pelourinho, cartão-postal da cidade e patrimônio da humanidade, diante dos casarões que começaram a ser restaurados na década de 1990, o povo simples e batalhador sorri, mesmo diante as dificuldades. E tenta sobreviver, seja como ambulante, com o seu pequeno negócio. Mas quando o fim de tarde chega, ele se escora em um banquinho na praça e vê a vida passar. Há até aqueles que se arriscam em uma partidinha de damas.
Salvador é tão prosaica que parece que já se conhece a cidade em sua primeira visita. Tudo ali é memória, de um livro, um filme, uma música, uma história. O Rio Vermelho de Jorge Amado, a Itaparica de João Ubaldo Ribeiro, a Cidade Baixa dos traços sem pudor de Carybé, a Itapuã de Caymmi, o saudosismo de Caetano e Gil e até o Carnaval de Daniela Mercury e tantos outros.

O baiano é herdeiro legítimo da alegria e do ritmo. Ele dança, primeiro porque sabe, e depois para mostrar aos outros. Os tambores africanos que dão o tom em blocos afro são os mesmos que ressoam na igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e nos mais de 200 terreiros de candomblé da cidade.

A cidade tem as cores e o cheiro da saudade de uma África distante, e na impossibilidade de ter o que não podia, tornou-se única. A pimenta que esquenta a culinária é a mesma que faz a vida ter sabor. O soteropolitano é o artista que admira a beleza de sua rotina comum. Ele está lá, na ladeira do Centro Histórico, entre outros lugares, só esperando que o turista descubra essa beleza também.

fonte: UOL – Viagem

Mural CMMC – Porto Seguro

Porto Seguro

Porto Seguro

Festa o ano inteiro no berço do Brasil

A história do Brasil começa em Porto Seguro, na Bahia. Considerada um monumento nacional, a cidade fica na Costa do Descobrimento, onde há 500 anos chegaram os portugueses, dando início à colonização do país. Hoje, os monumentos, igrejas e belíssimas praias fazem do município um dos destinos mais visitados por turistas de todo o Brasil.Porto Seguro é considerada Patrimônio Histórico Nacional desde 1976. Com belas praias repletas de barracas, bares e restaurantes, a cidade fica no extremo sul da Bahia, a 700 quilômetros da capital – Salvador -, e tem suas atividades econômicas baseadas no turismo, extração vegetal, agricultura, pecuária e pesca.

A diversão vai desde um roteiro histórico e cultural até passeios mais agitados, tanto durante o dia, quando o lazer náutico é praticado, como à noite, quando os bares da orla, barracas de ruas e restaurantes de diversos tipos de culinária lotam. A chamada “Passarela do Álcool” tem várias barracas em uma mesma rua e é um dos points mais agitados da noite. Na orla, acontece o famoso “Reggae Night”, com música ao vivo, em vários dias da semana.

Se em Porto Seguro existe festa todas as noites do ano, no Carnaval e no verão a cidade simplesmente vai à loucura. A Passarela do Álcool fica lotada de blocos, trios elétricos e bandas, que se apresentam em meio à festa que domina a cidade. Se o Carnaval em todo o país acaba na Quarta-feira de Cinzas, em Porto Seguro a data é apenas o marco de uma nova festa: o Carnaporto, o Carnaval prolongado de Porto Seguro.

Mural CMMC – Porto de Galinhas, PE

Porto de Galinhas - PE

Porto de Galinhas - PE

Verdadeira mania nacional, Porto de Galinhas não perde seus encantos e o seu charme.

Queridinha dos pernambucanos e dos turistas em geral, Porto de Galinhas não sai de moda. Mas nem a invasão de turistas e o investimento hoteleiro na região foram capazes de tirar o charme dessa vila rústica a 70 quilômetros de Recife.

Entre as maiores atrações de Porto de Galinhas estão as famosas piscinas naturais. Os que adoram uma mordomia podem se deliciar provando as delícias das barracas, como camarão frito e frutos do mar em geral. Mas fique atento aos preços, que podem ser bem “salgados”.

Há, ainda, várias lojas de artesanato para fazer a alegria daqueles que, mesmo na praia, não abrem mão de boas comprinhas.